Os Grupos PET da Computação

Petiar: verbo que acabamos de criar.

Ou não, pois se temos o substantivo petiano, talvez já tenhamos esse verbo: petiar.

Ops! Mas, temos o substantivo petiano!!! Talvez ele não exista oficialmente na língua portuguesa, mas existe no discurso de muitos graduandos pelo país.

petiando-001

Fazendo uso de liberdade poética, gostaríamos de nos apresentar como petianos, ou seja, trabalhamos no Programa de Educação Tutorial, o PET, um programa do Governo Federal, gerido pela Secretaria de Educação Superior, no Ministério da Educação. Somos tutores de dois grupos desse programa, o PET-SI da USP e o PETComp da Unioeste, e gostaríamos de apresentar o Programa e como ele está representado na comunidade acadêmica brasileira de Computação.

O Programa PET tem por objetivo promover melhorias no ensino da graduação no Brasil, por meio do incentivo à execução de atividades de Ensino, Pesquisa e Extensão. Para alcançar esse objetivo, o Governo Federal incentiva, por meio de chamadas públicas específicas (editais), o estabelecimento de grupos tutoriais em instituições de ensino superior. Hoje existem 842 grupos PET distribuídos em 121 instituições, públicas e privadas, localizadas em todas as regiões do país, atuando em diferentes áreas do conhecimento.

petiando-002

Esses grupos são formados por até 18 alunos de graduação (12 bolsistas e 6 colaboradores voluntários) e um professor tutor, os quais se denominam petianos. Esse grupo tem o dever de desenvolver atividades que, de forma direta ou indireta, beneficiem os cursos de graduação aos quais estão relacionados, e todos os agentes a eles ligados. Os grupos trabalham de forma colaborativa, e se envolvem nas mais variadas iniciativas, que vão da participação em pesquisa científica até campanhas de arrecadação de alimentos.

O trabalho realizado pelos grupos PET – e sua identidade – são estabelecidos de acordo com o perfil do grupo, dos cursos de graduação, da universidade e da região em que estão localizados. Essa identidade caracteriza particularidades do grupo sem, no entanto, o deslocar do objetivo unificado do Programa, de forma que embora distintos possuam um objetivo final comum.

A área de Computação está contemplada com um bom número de grupos PET. São 36 grupos espalhados pelas cinco regiões do país, atuando junto a cursos de graduação em Ciência da Computação, Sistemas de Informação, Engenharia da Computação, Informática, Informática Biomédica, Engenharia de Produção com ênfase em software, Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Tecnologia em Redes de Computadores.

petiando-003

Esses grupos estão, este ano, se apresentando de maneira unificada, a toda comunidade de computação do Brasil, por meio de uma parceria com a SBC. A SBC, reconhecendo a importância do trabalho realizado no PET, abriu vários canais por meio dos quais os grupos estão mostrando seu trabalho. Em nome de todos os grupos, agradecemos à Sociedade por essa oportunidade.

Os grupos PET de Computação se apresentam diante de uma identidade única, considerando-se agentes que contribuem para a promoção da tríade universitária, por todo o país, com atividades contextualizadas no tema computação. Os grupos desenvolvem atividades variadas, bastante criativas, e que contribuem para o desenvolvimento da área, para melhoria do ensino da computação e para a inserção da computação na sociedade como um todo.

Se você tem interesse em conhecer um pouco desse pessoal e do engajamento desses grupos na promoção da qualidade na computação, assista a apresentação disponível a seguir ou acesse os websites ou páginas dos grupos no Facebook – veja uma listagem de endereços em: http://www.sbc.org.br/home/educacao/grupos-pet.

Falamos … falamos … falamos … e não explicamos o significado do verbo petiar. Pois é, talvez não sejamos capazes de fazê-lo usando apenas palavras, uma vez que participar de um grupo PET é uma experiência particular, e o atuar no Programa dá sentido ao petiar. No entanto, vamos tentar fazê-lo por meio de exemplos de atividades realizadas pelos grupos PET no decorrer das próximas edições da SBC Horizontes. Esperamos que vocês gostem de nos conhecer melhor e acompanhem nossa coluna!

 

OS AUTORES:

Sarajane PeresProfª Drª Sarajane Marques Peres
Professora pesquisadora na Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo (EACH-USP), e tutora do grupo PET-Sistemas de Informação.

Clodis BoscarioliProf. Dr. Clodis Boscarioli
Professor pesquisador no Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (CCET-Unioeste), e tutor do grupo PET-Ciência da Computação.
Sarajane Peres
Sobre Sarajane Peres 2 Articles
Professora pesquisadora na Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo (EACH-USP), e tutora do grupo PET-Sistemas de Informação.