Existe Iniciação Científica no PET?

“Eu gostaria de entrar para o grupo PET, mas eu também gostaria de fazer iniciação científica.”

Você pode fazer iniciação científica no grupo PET!

“Eu quero fazer iniciação científica, mas não tenho interesse na área de pesquisa do tutor do grupo PET.”

Você não precisa pesquisar na área do tutor do grupo PET.

 

No nível da graduação, a pesquisa científica se manifesta por meio dos projetos de pesquisa desenvolvidos pelos graduandos orientados por professores-pesquisadores. Esses projetos são conhecidos como Projetos de Iniciação Científica, e é por meio deles que a maioria dos atuais cientistas iniciou seu caminho dentro da Ciência.

cnpqSegundo o CNPq, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, a Iniciação Científica (IC) é o primeiro passo na carreira de um cientista. Mas, mais do que isso, esse Conselho vê a IC como uma maneira de estimular os jovens a contribuir com o avanço do conhecimento existente, permitindo que a criatividade e a inovação, fundamentada no método científico, estejam cada vez mais presentes e a serviço da sociedade.

Hoje no Brasil existem diversos Programas federais, estaduais ou provenientes da iniciativa privada que fomentam a Iniciação Científica visando construir a base da pesquisa científica brasileira. Embora haja iniciativas voluntárias, geralmente tais Programas oferecem bolsas, chamadas bolsas de iniciação científica, para alunos da graduação, ou mesmo do ensino médio, que queiram desenvolver uma pesquisa junto a um pesquisador mais experiente.

“… então, eu gostaria de entrar para o grupo PET, mas eu também gostaria de fazer iniciação científica.”

Um dos pilares do trabalho realizado pelos grupos PET é a pesquisa. No PET é esperado que o trabalho realizado sobre o pilar “pesquisa” esteja também associado aos outros pilares, o “ensino” e a “extensão”. Dentro do rol de projetos de iniciação científica existentes, estão aqueles desenvolvidos também junto a atividades voltadas para o ensino e à extensão. Essa é a diferença do trabalho do petiano que faz uma IC dos outros alunos que também o fazem em outros Programas.

Nos grupos PET, independente da área de conhecimento a que estejam vinculados, os petianos desenvolvem pesquisas das mais variadas naturezas. Há grupos nos quais são desenvolvidas pesquisas por grupos de petianos, ou pesquisas nas quais os petianos, em grupo ou individualmente, se aproximam de Grupos de Pesquisa existentes na instituição, e lá desenvolvem suas atividades de pesquisa, em um esquema de colaboração.

Então, se você quer participar de um grupo PET e quer fazer Iniciação Científica, fique tranquilo, pois você terá essa oportunidade, dentro do estilo de trabalho do grupo PET ao qual você tem acesso.

“mas… embora eu queira fazer iniciação científica, não tenho interesse na área de pesquisa do tutor do grupo PET.”

nuvem-conhecimentoA pesquisa em um grupo PET não se desenvolve em apenas uma área. Muito pelo contrário, a diversidade de interesses e personalidades inerentes aos petianos em um grupo PET faz com que o trabalho do grupo se diversifique ganhando características multidisciplinares, interdisciplinares e transdisciplinares. Como é desejável em todo trabalho colaborativo, cada elemento é respeitado em sua individualidade. E como deve ocorrer em toda equipe que deseja alcançar o sucesso, as habilidades individuais de cada elemento devem ser exploradas de forma a potencializá-las, aproveitando as melhores características de cada um para construir uma unidade coletiva.

Nesse contexto, então, não cabe a exigência do desenvolvimento da pesquisa, ou de qualquer outra atividade, em uma única área – a menos que isso seja, naturalmente, desejado pelo grupo, tornando-o temático. O tutor do grupo, portanto, não atua como o único orientador de iniciação científica para o grupo, embora em muitos casos, esteja disponível para exercer esse papel, se a situação assim lhe exigir.

Em grande parte dos grupos PET que conhecemos, os petianos estão colaborando com diferentes Grupos de Pesquisa em suas instituições e, dessa forma, trilhando os seus primeiros passos como cientistas em áreas diversas.

 

Um pouco sobre a legislação relacionada ao Programa de Educação Tutorial…:

O artigo 19º da Portaria nº 343, de 24 de abril de 2013, traz que “O estudante bolsista de grupo PET receberá mensalmente uma bolsa de valor equivalente ao praticado na política federal de concessão de bolsas de iniciação científica.”.

Isso significa, em termos práticos, que o valor de bolsa concedido ao petiano acompanha os valores praticados nos Programas de Iniciação Científica. Em termos pragmáticos, reconhece-se que o petiano realiza um trabalho de valor agregado equivalente ao da tradicional iniciação científica.

 

Edição: Miguel Felipe Silva Vasconcelos (PET-SI – USP)

OS AUTORES:

Sarajane PeresProfª Drª Sarajane Marques Peres
Professora pesquisadora na Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo (EACH-USP), e tutora do grupo PET-Sistemas de Informação.

Clodis BoscarioliProf. Dr. Clodis Boscarioli
Professor pesquisador no Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (CCET-Unioeste), e tutor do grupo PET-Ciência da Computação.
Sarajane Peres
Sobre Sarajane Peres 2 Articles
Professora pesquisadora na Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo (EACH-USP), e tutora do grupo PET-Sistemas de Informação.