Keiko Fonseca – Computação e Badminton

Keiko Fonseca, natural de São Paulo – SP. Atua em diversas áreas da Computação mas sua grande paixão é o Badminton.

Perfil

Nome completo: Keiko Verônica Ono Fonseca

Data de nascimento: 13/01/1960

Onde mora: Curitiba – PR

Formação: Engenharia Elétrica: UFPR (BSc); Unicamp (MSc), UFSC (Dr.), Computação: Carnegie Mellon University – EUA (sanduíche), University of York – UK (sanduíche), Technische Universitaet Dresden, Alemanha (posdoc)

Atuação: Comunicação de Dados, Sistemas de Tempo Real, Redes Inteligentes, Cidades Inteligentes e Segurança na nuvem

Eu sou a cara da Computação: Como você escolheu a área de Computação?

Keiko: No mestrado trabalhei com Telemática (Telecomunicações e Informática), me enveredei na área de redes de computadores e sistemas de tempo real no doutorado e desde então estou sempre trabalhando em alguma área associada à computação. Atualmente, tenho trabalhado em projetos internacionais sobre Cidades Inteligentes (Suécia) e Segurança na Nuvem (Alemanha, Inglaterra, Suíça).

Eu sou a cara da Computação: Como é a sua vida além do curriculum vitae?

Keiko: Sou apaixonada por Badminton, esporte jogado com raquetes e peteca leves entre individuais e duplas, com duplas mistas (só em 3 esportes olímpicos homens e mulheres jogam juntos -Badminton, tênis de campo e hipismo). Em maio de 2016 recebi na China o prêmio internacional “Women in Badminton Award” da BWF (Badminton World Federation) pela disseminação e incentivo à participação efetiva de mulheres no esporte. Publiquei o primeiro livro em português sobre Badminton, trabalhei na tradução de recursos didáticos para formação de professores e técnicos de Badminton, na disponibilização do material traduzido na plataforma colaborativa do MEC (E-Proinfo), na especificação de um App (“Shuttle Time”) de auxílio ao ensino de Badminton. Atualmente sou superintendente de desenvolvimento da Confederação Brasileira de Badminton (CBBd) onde montamos o Núcleo de Ciências do Esporte com marcante atuação feminina. Sou também vice-presidente de um clube de Badminton cuja maioria da diretoria é de mulheres.