Edição Especial – Premiados(as) no 30º CTD do CSBC 2017

Finalizamos a edição especial da nossa coluna com os perfis dos(as) premiados(as) no 30º Concurso de Teses e Dissertações (CTD). Confira as curiosidades, dificuldades e lições aprendidas ao longo do desenvolvimento dos trabalhos de mestrado e doutorado premiados neste ano.

TRABALHOS DE DOUTORADO:

1º lugar: Online Thread and Data Mapping Using the Memory Management Unit

Aluno: Eduardo Henrique Molina da Cruz

Orientador: Philippe Navaux

Instituição de Ensino: UFRGS

Eu sou a cara da computação: Conte-nos resumidamente a história do trabalho premiado, curiosidades, dificuldades, lições aprendidas.

Eduardo: O trabalho se originou de um projeto que meu orientador havia aprovado junto ao CNPq, sobre mapeamento de processos. Meu orientador disse para eu ler o projeto e achar algo naquele tema que não tivesse sido explorado por outros trabalhos. Uma curiosidade é que a ideia que fundamentou as propostas da tese surgiram em uma noite de insônia.

Eduardo Cruz - UFRGS- 1º lugar Concurso de Teses de Doutorado
Eduardo Cruz – UFRGS- 1º lugar Concurso de Teses de Doutorado

1º lugar: Sensitive-Video Analysis

Aluno: Daniel Moreira

Orientador: Sione Goldenstein, Anderson Rocha

Instituição de Ensino: UNICAMP

OBS.: Até o momento da publicação deste post não recebemos a resposta desta equipe.

2º lugar: Solving Moving-Blocks Problems

Aluno: André Grahl Pereira

Orientadora: Luciana Buriol, Marcus Ritt

Instituição de Ensino: UFRGS

Eu sou a cara da computação: Conte-nos resumidamente a história do trabalho premiado, curiosidades, dificuldades, lições aprendidas.

André: A minha pesquisa de doutorado relaciona jogos, complexidade computacional e inteligência artificial. Durante o doutorado eu estudei a classe de problemas de blocos-móveis baseada no jogo de transporte Sokoban. Esse jogo possui uma grande comunidade de pessoas que o jogam, além de pessoas que constroem programas de computador para resolvê-lo. Sokoban vem sendo usado por décadas como um domínio de testes pela comunidade de inteligência artificial; no entanto humanos ainda superam computadores nesse jogo.  Problemas de blocos-móveis são simultaneamente extremamente difíceis de resolver e uma abstração de aplicações reais. No meu doutorado provei que muitos problemas de blocos-móveis são PSPACE-completos. A dificuldade computacional desses problemas é umas das características que os tornam interessantes para pessoas. Além da importância para aplicações reais, a pesquisa por ser relacionada a jogos é uma forma de atrair alunos para as áreas de teóricas da computação. No meu doutorado também propus algoritmos para resolver problemas de blocos-móveis. Os métodos propostos resolvem importantes limitações para solução de problemas de planejamento em geral. Ainda mostrei que os métodos propostos melhoram os resultados em diversas aplicações como o planejamento de movimentos de aviões em aeroportos. Por fim, minha tese possui atualmente o melhor resolver ótimo e os melhores resultados publicados para o Sokoban.

André Grahl Pereira - UFRGS- 2º lugar Concurso de Teses de Doutorado
André Grahl Pereira – UFRGS- 2º lugar Concurso de Teses de Doutorado

3º lugar:  Timing Optimization During the Physical Synthesis of Cell-Based VLSI Circuits

Aluno: Vinicius Livramento

Orientador: Luiz Claudio Villar dos Santos / José Luis Almada Güntzel

Instituição de Ensino: UFSC

OBS.: Até o momento da publicação deste post não recebemos a resposta desta equipe.

TRABALHOS DE MESTRADO

1º lugar: Controle de Congestionamentos de Veículos utilizando Sistemas de Transporte Inteligentes

Aluno: Allan Souza

Orientador: Leandro Villas

Instituição de Ensino:  UNICAMP

OBS.: Até o momento da publicação deste post não recebemos a resposta desta equipe.

2º lugar: Um Novo Algoritmo IA-RSA Ciente de Imperfeições de Camada Física para Redes Ópticas Elásticas

Aluno: Alexandre Fontinele

Orientador: Andre Soares

Instituição de Ensino: UFPI

Eu sou a cara da computação: Conte-nos resumidamente a história do trabalho premiado, curiosidades, dificuldades, lições aprendidas.

Alexandre: Durante graduação eu entrei para grupo de pesquisa Distributed Systems and Networks Laboratory (DiSNeL) da Universidade Federal do Piauí (UFPI). No DiSNeL, eu fui iniciado em redes ópticas de transporte e aprendi muito com a metodologia de estudo utilizado pelo grupo. Discussões com colegas do grupo de pesquisa ajudaram bastante a sanar dúvidas e superar dificuldades que surgiam durante os estudos na área de pesquisa. Nesse convívio diário surgiram ideias de novos desafios de pesquisa e possíveis propostas de soluções. Ainda faço parte do DiSNeL e acredito que eu ter entrado no grupo de pesquisa durante a graduação contribuiu para a riqueza do trabalho que foi desenvolvido durante o meu mestrado na UFPI.

Alexandre Cardoso Fontin - UFPI- 2º lugar Concurso de Dissertações de Mestrado
Alexandre Cardoso Fontin – UFPI- 2º lugar Concurso de Dissertações de Mestrado

 3º lugar: MSECO-CERT: uma abordagem baseada em processo para apoiar a certificação de apps em Ecossistema de Software Móvel

Aluno: Awdren Fontao

Orientador: Arilo Dias

Instituição de Ensino: UFAM

Eu sou a cara da computação: Conte-nos resumidamente a história do trabalho premiado, curiosidades, dificuldades, lições aprendidas.

Awdren: O meu trabalho de mestrado surgiu a partir de questões relacionadas ao ambiente em que eu vivia na indústria. Eu trabalhava como Evangelista de Desenvolvedores, no Instituto Nokia de Tecnologia (INdT) e percebi que os processos de suporte feitos pelo evangelista e o processo de desenvolvimento de aplicações móveis poderiam ser explorados. Passei 1 ano e uns 6 meses trabalhando e fazendo mestrado, fui acolhido pelo grupo de Experimentação e Testes de Software (ExperTS) liderado pelo Prof. Doutor Arilo Claudio, eu não tinha domingo vago. Depois disso fiz a escolha que mudou minha vida: dedicação exclusiva ao mestrado, o que me impulsionaria a fazer o doutorado. Tive dificuldades relacionadas à readaptação ao cenário acadêmico e como lições aprendidas destaco: dedicação a fazer bem o que gosta, que a pesquisa não é “publishing”, que vale a pena estabelecer redes de colaboração e que pesquisar é parte do ser humano! Posso descrever melhor algumas coisas se me contactarem.

Awdren Fontão - UFAM - 3º lugar Concurso de Dissertações de Mestrado
Awdren Fontão – UFAM – 3º lugar Concurso de Dissertações de Mestrado