Thais Justi de Toledo - Segundo lugar no concurso de Miss Cuiabá - 2018

Computação na passarela!

A coluna “Eu sou a cara da computação” inicia o ano de 2018 (com um pequeno atraso de 5 meses) com a publicação de um perfil que contradiz todas as pessoas que estereotipam a imagem de quem trabalha com computação unicamente como aquele(a) nerd que não gosta de se comunicar, que não tem vaidade e que o único hobby é videogame. A Thais, nosso perfil de hoje, é uma verdadeira inspiração, principalmente para aquelas mulheres que atuam na computação e que muitas vezes têm receio de dizer que gostam de moda, maquiagem ou outras atividades fora do “estereótipo”.

Confere como esse hobby chegou na vida da Thais e encante-se tanto com a beleza quanto com sua persistência!

Perfil

Nome completo: Thais Justi de Toledo

Data de nascimento: 23/11/1996

Onde mora: Cuiabá- Mato Grosso

Formação: Cursando o último semestre de Ciência da Computação na Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT)

Atuação: Estagiária na área de banco de dados e bolsista de pesquisa científica na área de IHC

Eu sou a Cara da Computação: Como você escolheu a área de Computação?

Thais: Conheci a computação dentro de casa, por meu pai ser da área. Isso me influenciou a escolher o curso dentro da área de exatas. Entrando no curso, como trabalhava como modelo em meu tempo livre, senti que não acreditavam muito que eu teria o “perfil” do curso, o que me deu mais vontade de continuar e ver se gostaria dele. O resultado disto foi mais dedicação: trabalhei como monitora de lógica, participo de pesquisa no projeto Davi (Dados Além da Vida) a respeito de memoriais digitais no Facebook, e estagio na prefeitura na área de banco de dados. Estou no último semestre e pretendo passar por muitos desafios ainda na computação.

Eu sou a Cara da Computação: Como é a sua vida além do curriculum vitae?

Thais: Desde pequena me envolvi com a passarela e fotos, é um hobby que sempre me acompanhou. Neste ano, 2018, me candidatei para o Miss Cuiabá. Soube um mês antes da data que o concurso ia acontecer e me dediquei ao máximo para estar preparada: dieta regulada por nutricionista, academia 2 vezes por dia, massagens, etc. Consegui conciliar com o meu estágio de 6 horas e com a finalização do meu TCC. Fiquei em segundo lugar, entre quinze candidatas, e me senti muito realizada por ter dado o meu melhor em outro desafio que me propus a viver.

Acredito que o verdadeiro perfil da pessoa que faz computação é gostar de se desafiar sempre e estar buscando melhorar em tudo que puder, e não necessariamente seguir estereótipos. A computação está em tudo ou pode estar, o mais mágico de tudo é isso!