Então, o que você está lendo?

Então, o que você está lendo?

Por Juliana de Santi,
Professora do Departamento Acadêmico de Informática da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR – Curitiba).

Ao longo dos anos tenho me questionado “Por que alguns estudantes de *Computação* não se empolgam com a beleza dos algoritmos?“. Esta escolha de leitura reflete minha tentativa de melhor entender esse questionamento e estabelecer respostas vinculadas à minha tarefa de ensinar programação. Além disso, eu gostaria que qualquer pessoa que me perguntasse sobre minha profissão entendesse minha explicação sobre o que eu faço. Portanto, esta leitura não se restringe ao educador, muito pelo contrário, ela é direcionada ao público em geral.

O livro “Once Upon an Algorithm: How Stories Explain Computing”[1], do professor de Engenharia e Computação Martin Erwig (Oregon State University)[2], foi premiado pela American Book Fest como o melhor livro na categoria Education/Academic em 2017 e recebeu menção honrosa PROSE 2018 da Association of American Publishers. Nesse livro, a ideia é visualizar a Computação como uma ciência popular, dando a aportunidade para que as pessoas em geral entendam o que é a Computação, o que é um algoritmo. Assim, busca-se ir além da programação, identificando uma série de conceitos de computação (estruturas de controle, laços de repetição, estruturas de dados, tipos, recursão, …) em atividades cotidianas e estórias bem conhecidas (João e Maria, Sherlock Holmes, …) e, então, explicando a técnica a ser desenvolvida para “programar essas estórias”. É uma leitura leve e agradável que proporciona ao leitor (com ou sem experiência prévia em programação) a oportunidade de, através de metáforas, entender a computação como o estudo da resolução sistemática de problemas.

Capa do livro Once Upon an Algorithm, mostrando duas crianças andando sozinhas em uma floresta em noite de lua cheia.
Once Upon an Algorithm.

Referências:
[1] ERWING, Martin., Once Upon an Algorithm: How Stories Explain Computing. The MIT Press, 2017.
[2] Martin Erwig homepage. http://web.engr.oregonstate.edu/~erwig/last access. Acesso em: 11 de dezembro de 2019.

Compartilhe e curta: