Ferramentas do usuário

Ferramentas do site


v02n02:12

BITS, BYTES & BATOM

EDIÇÃO AGOSTO 2009

Mulheres em Computação: Claudia Bauzer Medeiros

Conheça uma das pioneiras da Computação no Brasil

Com certeza a Claudia é uma figura de destaque na comunidade feminina de computação no Brasil. Junto com outros cinco membros da SBC ela é a única mulher admitida à Ordem Nacional do Mérito Científico, na categoria tecnológica, em 2008. Sua atuação e sua contribuição em diversas frentes são um exemplo para todos. Assim, sendo esta coluna dedicada à participação da mulher na área de computação, esta matéria mostra um pouco da Claudia e de sua contribuição em alguns momentos de sua carreira. Entrevista por Sandra Fabbri.

De formação você é engenheira eletricista. O que a fez escolher a área de computação como sua área de atuação profissional?

Foi uma transição natural. Durante o último ano da graduação, fui fazer um estágio em Furnas Centrais Elétricas, na sede no Rio de Janeiro, como analista de sistemas. Gostei muito do tipo de atividade que exercia - eu trabalhava em manutenção e programação do sistema operacional de grandes máquinas IBM. Assim, após a formatura, fui contratada e daí em diante continuei na mesma direção. Enquanto trabalhava como analista, fiz o mestrado em Informática, em tempo parcial, na PUC do Rio. E, finalmente, saí de Furnas para fazer doutorado em Computação no Canadá. Lá, minha formação e treinamento profissional foram muito úteis. Não só eu tinha mais maturidade que quase todos os alunos (afinal, eu havia trabalhado por 5 anos antes de sair para fazer doutorado), mas meus conhecimentos de sistemas operacionais e assembler me permitiram ser monitora de várias disciplinas nas quais havia carência de monitores qualificados. Minha experiência de trabalhar e estudar ao mesmo tempo foi muito útil para toda a minha carreira. Adquiri, com isto, uma boa disciplina de trabalho, de organização de tarefas e de gestão do tempo.

Como você acha que a mulher pode contribuir para a computação de uma forma diferente dos homens?

Cada um pode contribuir de uma forma especial, independente do gênero. Mas os estudos sociológicos sobre o assunto indicam que mulheres, em geral, exercem mais o lado “emocional” ou “social” das atividades de computação. Com isto, favorecem a busca pela satisfação do usuário, o que aprimora os produtos. Obviamente, não podemos generalizar, pois o perfil de cada um depende do meio em que cresceu e de fatores hereditários.

Você considera que existem áreas da computação (linhas de pesquisa, atividades específicas, etc.) que sejam melhor desempenhadas pelas mulheres do que pelos homens?

Depende… às vezes acredito e às vezes, não. Depende muito dos exemplos com que me deparo. Já houve situações, por exemplo, em que claramente vi mulheres agindo de forma totalmente diferente do que homens (em geral, na organização de tarefas, delegação de atividades e tipo de iniciativa a tomar face a uma crise). Nestas situações, sempre achei que as mulheres estavam se saindo melhor do que os homens. Um exemplo comum são os trabalhos em grupo de alguma disciplina.

Já outras vezes, em contextos semelhantes, vi mulheres agindo de forma bastante equivocada (criando conflitos dentro de um grupo, ou tendo atitudes submissas sem expressar sua opinião).

Portanto, não vejo pessoalmente que há linhas preferenciais de atuação para mulheres na pesquisa ou no trabalho. No entanto, mais uma vez me referindo a estudos sociológicos, tudo indica que mulheres são melhores para interação com usuários e análise de requisitos. Além disso, parece que somos mais cuidadosas na implementação de especificações e, também, muito mais pacientes na depuração de código. Será? Não sei…

Considerando a sua participação na FAPESP, CNPq e CAPES, houve algum momento de contribuição feminina por intermédio da sua pessoa?

Não houve contribuição feminina e sim contribuição de pesquisa e de conhecimento da comunidade nacional e internacional. Nessas comissões, não há “lado” masculino ou feminino, busca-se analisar processos e situações de forma isenta e segundo padrões internacionais de excelência.

Quais as principais ações tomadas por você, representante da categoria feminina, na presidência da SBC?

Vou enumerar apenas ações tomadas no sentido de incentivar a presença de mulheres na Computação. Primeiro, busquei uma composição balanceada entre homens e mulheres para a diretoria da Sociedade nas minhas duas gestões. Além disso, convidei diretores de todas as regiões do Brasil, o que aumentou a presença da SBC em vários lugares (e, como conseqüência, nossas ações incentivando mulheres).

Em segundo lugar, junto com a Profa Karin Breitm