Os robôs estão cada vez mais presentes no nosso dia-a-dia

Eu, você, a Robótica e a SBC – Comissão Especial de Robótica (CE-R)

Os robôs estão cada vez mais presentes no nosso dia-a-dia
Os robôs estão cada vez mais presentes no nosso dia-a-dia

Eu, você, a Robótica e a SBC

A Robótica está cada vez mais presente em nosso dia-a-dia e junto a nossa sociedade. Devemos estar preparados para encarar este futuro muito próximo, onde vamos conviver com robôs e com as tecnologias robóticas. Muitas vezes, quando não conhecemos ou entendemos algo novo ou diferente, acabamos criando mitos, crenças e medos que não correspondem à realidade. Por isso a SBC e a CE-R (CE-Robótica) possuem um papel fundamental na difusão de conhecimentos, discussão sobre temas polêmicos, promoção e estruturação de políticas nesta área, organização de eventos e promoção do conhecimento, das pesquisas e da área da robótica como um todo no Brasil.

A CE-R promove a robótica através da: (i) Difusão de conhecimentos em sites, no Facebook e em listas de discussão [1][2][3]; (ii) Organização e apoio a eventos [4][5][6][7]; (iii) Promoção do Ensino de Robótica através de competições [6][7]; (iv) Interação com entidades parceiras [8][9]. Além disto, a CE-R busca também promover a robótica junto a sociedade brasileira e a comunidade da SBC, onde procura estar sempre presente e atuante na promoção de ações relacionadas a área de robótica.

Robôs e Tecnologias Robóticas: Impacto na Sociedade

Você talvez esteja se perguntando, e o que eu tenho a ver com isso tudo? A Robótica vai certamente impactar (e muito!) a sua vida, seu trabalho, seu bem-estar e conforto, e seu relacionamento com a sociedade e o mundo. Estamos vivendo uma revolução de novas tecnologias, onde os robôs e as tecnologias robóticas (sensores, atuadores/motores e dispositivos automatizados) estão cada vez mais presentes. Você já parou para pensar sobre a Automação presente no dia-a-dia e o seu impacto na sociedade?

Os robôs que inicialmente eram muito caros e restritos apenas aos ambientes industriais, estão invadindo nossos lares e nossas vidas. Veja o exemplo dos aspiradores de pó robóticos, como o Roomba da iRobot, um sucesso de vendas no mundo inteiro. Esta empresa, a iRobot, foi criada em 1990 já vendeu mais de 20 milhões de robôs [19], onde seu principal produto é este simpático e prático “robozinho” de limpeza. A população mundial de robôs não para de crescer, e já existem inclusive estimativas de quando a população de robôs irá ultrapassar o número de pessoas na Terra, com uma previsão de que irá levar cerca de 30 anos para isto ocorrer, mas ainda são apenas especulações. Mas não custa lembrar a previsão apresentada pelo próprio Bill Gates, fundador da Microsoft, que em 2008 previu que muito em breve teremos um robô em cada lar [11]. E ele sabia bem o que estava dizendo…

De qualquer modo, não podemos ignorar que os robôs e as tecnologias robóticas já avançam rapidamente junto a nossa sociedade. Podemos citar alguns exemplos, onde a manufatura de muitos produtos de nosso a dia-a-dia (p.ex. carros, computadores, smartphones) não seria possível sem o auxílio dos robôs. Por outro lado, os robôs também “saem das fabricas” e passam a conviver com as pessoas, na forma de robôs móveis, robôs inteligentes e robôs colaborativos (CoBots [12]). Não temos mais por que ter medo de compartilhar nosso espaço com robôs capazes de conviver lado a lado com os humanos, pois agora eles são mais sensíveis e com dispositivos de percepção bem mais avançados. Os robôs industriais passam agora a ter novas configurações e novas aplicações, mais ágeis, mais seguros, mais inteligentes e com maior mobilidade: são os chamados robôs de serviço e a robótica de campo (Field and Service Robots).

A robótica invade nossas casas (robôs de serviço e robôs assistentes), nossas escolas (robôs educacionais), nossos hospitais (robôs cirúrgicos), nossas cidades (veículos robóticos autônomos), nossas indústrias de manufatura (robôs de manufatura de nova geração – Indústria 4.0), no setor de serviços (robôs recepcionistas, cozinheiros, seguranças), etc. As tecnologias robóticas de sensores/atuadores e de automação integram e fazem parte dos projetos das Cidades Inteligentes, da Internet das Coisas (IoT – Internet of Things) e até mesmo dos dispositivos de Realidade Virtual/Aumentada. Eles estão por toda parte!

Importância para o Futuro: Desenvolvimento Econômico e Aumento da Produção

Agora não dá mais para dar meia volta e voltar atrás. Eles estão por toda parte. Os robôs e as tecnologias robóticas já estão sendo amplamente utilizados em todo o mundo, e o país que não investir nesta área, ficará para trás nesta nova onda, como ocorreu com a revolução industrial, como tem sido com a revolução da Computação e da Internet (TICs), e como está sendo a revolução da robótica.

O risco de “ficar para trás” é muito grande, pois a robótica e a automação permitem otimizar a produção, reduzir custos e se tornar mais competitivo em um mundo globalizado. A maioria dos países desenvolvidos sabe muito bem disto [13], e têm investido amplamente na implantação e desenvolvimento de novas tecnologias robóticas. Se o Brasil quiser ser competitivo e um verdadeiro protagonista na cena mundial, não poderá ficar para trás nesta área, sob o risco de ser cada vez mais dependente de uma indústria estrangeira que produz mais, com melhor qualidade e com menor preço.

Quem tem medo da Robótica?
Robôs do mal?
Desemprego em massa?

E você? Tem medo da Robótica e dos Robôs Inteligentes (Robôs + I.A.)? Você acredita que os robôs vão causar o “desemprego em massa”, ou até mesmo, “dominar o mundo” e “acabar com a raça humana”? Sinto lhe informar, mas isto tudo são muitas fantasias criadas pela mídia, pelo cinema e junto a ficção científica [14], pois estes precisam chamar a atenção e assim vender mais suas “fantasias” para o grande público. Considerando as tecnologias atuais conhecidas e mesmo as previsões (consideradas sérias) em termos de avanços tecnológicos, a probabilidade de que ocorra um “desemprego em massa” ou “robôs dominando o mundo” é praticamente nula, pelo menos para a nossa geração atual.

Grandes cientistas e pesquisadores da área de Inteligência Artificial (I.A.) e de Robótica são praticamente unânimes [15][16] em dizer que as tecnologias atuais, de microprocessadores baseados em silício com processamento digital, robôs “inteligentes” e ferramentas de I.A. e de Aprendizado de Máquina, tal qual nós conhecemos hoje, mesmo as mais impressionantes destas tecnologias atuais, não seriam capazes de desencadear tais eventos catastróficos. Existe uma diferença entre Robôs da Ficção e robôs reais. É fácil explicar este “medo da robótica” que muitos têm: as pessoas sentem medo daquilo que não conhecem bem, que não entendem bem e que não dominam bem… e as tecnologias avançaram tanto que muitos não têm como entender/conhecer/dominar todas estas novas tecnologias. Sentimos medo do desconhecido, pode ser dos Extra-Terrestres (ETs), por exemplo, mas também no passado os medos incluíam até mesmo o medo de um eclipse do Sol ou de uma erupção vulcânica. No passado, era uma questão de falta de informação e de conhecimento. No presente, é papel da CE-R, da SBC, da comunidade acadêmico-científica, de tentar desfazer alguns mitos e crenças que não se sustentam em fatos.

Portanto, você pode dormir tranquilo que um robô não vai “decidir sozinho” que está na hora de eliminar seu criador. Isto não quer dizer que Robôs Assassinos não possam existir, inclusive eles já existem e atuam em guerras, onde cabe aqui citar os drones militares, como sendo armas robóticas de guerra. Neste caso, o problema não é que o robô decidiu se revoltar contra a sua dominação por humanos, mas sim, humanos que dão as ordens para que os robôs realizem atos de guerra, crimes ou assassinatos. Quanto a isto, sua preocupação deve ser então com quem (qual humano) está no controle destas máquinas assassinas… e quem sabe se juntar a movimentos que lutam pela ética na robótica, como o “Stop Killing Robots” [17].

Mas e quanto ao desemprego? Se o robô é capaz de substituir seres humanos em diversas atividades, ele deve então ser o responsável pelo desemprego em massa? Verdade? Não, é mentira! A automação e a robótica são elementos que estimulam o crescimento da produção, a otimização da produção, a expansão de negócios e consequentemente um crescimento da oferta de empregos: + desenvolvimento => + empregos! Existem diversos estudos que demonstram que a robótica tem ajudado o desenvolvimento e a geração de empregos [18]. Por outro lado, não temos como negar que a robótica e a automação irão substituir os trabalhos repetitivos e a mão-de-obra pouco qualificada. A automação já substituiu algumas profissões e trabalhadores que atuavam em funções mais simples, como os ascensoristas e as telefonistas (operadoras de centrais telefônicas), profissões estas que praticamente não existem mais. Porém a substituição não ocorreu da noite para o dia, e muito se ganhou com a automação de tais tarefas: elevadores mais modernos são mais seguros e eficientes, e estes operam e viabilizam a criação de novas e maiores edificações, assim como, centrais telefônicas que permitem que hoje todos nós estejamos conectados o tempo todo e de forma rápida, confiável e muito eficientemente.

Portanto, ao falar de robôs substituindo humanos, devemos lembrar que isto não irá ocorrer de forma tão rápida e tão drástica, a ponto de criar um desemprego em massa e uma grande convulsão social. Robôs são caros ($$$), e mesmo podendo “facilmente” substituir humanos em tarefas repetitivas (algumas delas altamente perigosas e muito cansativas) como na mineração, pulverização de agrotóxicos, colheita de produtos agrícolas, manufatura em série de produtos (p.ex. roupas, brinquedos), limpeza de ruas e coleta de lixo, … mesmo assim, os humanos ainda são a mão de obra “barata” mais usadas e explorada em tais atividades. Pense nisto. No entanto, estas talvez sejam algumas das primeiras atividades e empregos a serem gradualmente automatizados, gerando a necessidade de recolocação destas pessoas.

A automação irá melhorar a produtividade, a qualidade dos produtos, a competitividade das empresas, e até mesmo, melhorar a qualidade de vida das pessoas que não precisarão mais trabalhar em empregos perigosos, desgastantes e mal remunerados. E como devemos então buscar evitar o “o risco do desemprego pontual e deslocamento de atividades destes trabalhadores” em nome de uma maior automação/produtividade, com a inserção de robôs em diferentes atividades, e com a substituição de humanos que atuam nestas atividades ditas “de menor complexidade”? A resposta é simples: investir em educação e preparar profissionais mais qualificados e com capacidade de se adaptar as mudanças. Mudanças estas que certamente vão ocorrer nas empresas, nos empregos e nas demandas por serviços humanos. Precisamos ser mais criativos, mais inovadores, mais flexíveis/adaptáveis a novas situações, e principalmente, precisamos preparar as novas gerações para este novo mundo e para os seus desafios.

Difusão de Conhecimentos e Ensino de Robótica

Como se preparar pare esta revolução da automação e da robótica? Como estar preparado para este novo mundo onde vamos ter que conviver com robôs nas empresas, nas ruas e até mesmo dentro de nossos lares? Temos que primeiro “quebrar a barreira do desconhecido”, por isso que a CE-R e a SBC se preocupam tanto em DIVULGAR e difundir conhecimentos nesta área através de eventos, de palestras, e de artigos, sejam estes artigos técnico-científicos mais avançados, ou através de artigos como este. Depois, em segundo lugar, temos que ENSINAR as pessoas a dominar a robótica, começando desde as crianças, e indo até os jovens, adultos e também junto aos mais idosos. Não podemos temer a robótica e os robôs. Devemos aprender a usar e aproveitar as tecnologias e contribuições positivas que a robótica pode trazer para a sociedade.

O ensino da robótica deve iniciar nas escolas, no ensino fundamental e no ensino médio, avançando até a idade adulta. Atividades como o ensino de robótica nas escolas, em conjunto com a participação em grupos de atividades robóticas e em competições de robótica, são fundamentais para estimular: (i) a aproximação das novas gerações junto as novas tecnologias; (ii) a desmitificação da robótica; (iii) o desenvolvimento da criatividade; (iv) a formação de alunos mais preparados, incentivando o desenvolvimento de uma maior capacidade crítica, de raciocínio lógico, de resolução de problemas práticos, de questionamento de soluções, de inovação, e de atuação em áreas multidisciplinares e interdisciplinares.

Acreditamos que o ensino através da robótica é justamente a ferramenta que permitirá criar indivíduos mais bem preparados para os desafios do futuro… desafios estes que a própria robótica irá impor a nossa sociedade!

Eventos sobre a Robótica

A SBC e a CE-R, cientes da grande importância da Robótica, e principalmente do importante papel do ensino, pesquisa e difusão de conhecimentos em relação a esta área, promovem e apoiam uma série de eventos e ações neste sentido. O evento científico principal da CE-R é o SBR (Simpósio Brasileiro de Robótica) que inclusive têm sido realizado em conjunto com o IEEE LARS (Latin-American Robotics Symposium) nos últimos anos [4]. A CE-R organiza também um importante evento que associa as áreas de Robótica e Ensino, o WRE (Workshop de Robótica na Educação) [10]. A CE-R também apoia e realiza conjuntamente com outras entidades como a IEEE RAS [9] e a Robocup Brasil [8], eventos de grande relevância no cenário nacional e internacional, onde destacam-se o CBR e IEEE LARC (Competições de Robótica) [7], a OBR (Olimpíada Brasileira de Robótica) [6] e a MNR (Mostra Nacional de Robótica) [5]. Estes eventos estarão ocorrendo em 2017 em Novembro em Curitiba no Paraná, todos integrados no Robótica 2017 – www.robotica.org.br.

Em particular, destaco aqui a grande importância de eventos como a OBR – Olimpíada Brasileira de Robótica [6], pois eventos como este são fundamentais para motivar e preparar as novas gerações para enfrentar os desafios do futuro.

Concluo este artigo convidando a tod@s @s leitores a participar desta importante tarefa que é promover o conhecimento e o desenvolvimento da robótica em nosso país. Junte-se a SBC e a CE-R nesta jornada! Contamos com o seu apoio e participação!

REFERÊNCIAS

[1] SBC CE-R: http://sbc.org.br/14-comissoes/398-robotica
[2] SBC CE-R Facebook: https://www.facebook.com/groups/SBC.Robotica/
[3] SBC CE-R Lista de Discussão: http://grupos.ufrgs.br/mailman/listinfo/robotica-l/
[4] SBR – Simpósio Brasileiro de Robótica: http://sbr.sbc.org.br/ (Evento da CE-R)
[5] MNR – Mostra Nacional de Robótica: http://mnr.org.br/ (Apoiada pela SBC e CE-R)
[6] OBR – Olimpíada Brasileira de Robótica: http://www.obr.org.br/ (Apoiada pela SBC e CE-R)
[7] CBR – Competição Brasileira de Robótica: http://www.cbrobotica.org/ (Apoiada pela SBC e CE-R)
[8] Robocup Brasil: http://robocup.org.br/ – Entidade parceira da SBC CE-R
[9] IEEE RAS (Robotics and Automation Society) Brasil: Entidade parceira de SBC CE-R
http://www.inf.ufrgs.br/raschapter/RASChapter/South_Brazil_RAS_Chapter.html
https://www.facebook.com/groups/219358395115195/ (Facebook)
[10] WRE – Workshop de Robótica na Educação: http://www.natalnet.br/wre2017/
[11] Biil Gates – A robot in every home. Scientific American, February 2008.
https://www.scientificamerican.com/article/a-robot-in-every-home-2008-02/
[12] Cobots – Wikipedia: https://en.wikipedia.org/wiki/Cobot
[13] World Robotics Report 2016: https://ifr.org/ifr-press-releases/news/world-robotics-report-2016
[14] Apocalyptic Fiction – Wikipedia: https://en.wikipedia.org/wiki/Apocalyptic_and_post-apocalyptic_fiction
[15] Yann LeCun – Facebook’s head of AI wants us to stop using the Terminator to talk about AI:
https://www.theverge.com/2017/10/26/16552056/a-intelligence-terminator-facebook-yann-lecun-interview
[16] Rodney Brooks – Why Robots Aren’t a Real Threat to Jobs:
https://www.ge.com/reports/rethink-robotics-founder-rodney-brooks-explains-why-robots-arent-a-real-threat-to-jobs/
[17] Stop Killer Robots Campaign: https://www.stopkillerrobots.org/
[18] Robots and Jobs – View from Experts: https://br.pinterest.com/fsosorio/robots-and-jobs/
[19] iRobot History: http://www.irobot.com/About-iRobot/Company-Information/History.aspx

Texto preparado por:

Foto-Quadrada-FOsorio (570x570)
Prof. Dr. Fernando Santos Osório – Coordenador da Comissão Especial de Robótica – CE-R SBC
Professor e Pesquisador do Laboratório de Robótica Móvel (LRM) do ICMC – USP São Carlos.
Membro do conselho diretor do Centro de Robótica da USP São Carlos – CRob/USP-SC.
CV Lattes – http://lattes.cnpq.br/7396818382676736
Google Scholar – https://scholar.google.com.br/citations?user=RHVtgb0AAAAJ